Fale com um consultor Fale com consultor
Microcity

O que é uma falha zero day? Entenda como é explorada essa brecha de segurança

O que é uma falha zero day? Entenda como é explorada essa brecha de segurança

Uma falha de segurança zero day é uma brecha em softwares recém-descoberta. Por não ser de conhecimento dos desenvolvedores da tecnologia representa uma ameaça em potencial, sendo uma possível porta de entrada para criminosos digitais.

 

Uma vulnerabilidade zero day é uma brecha na segurança de um software que ainda não foi descoberta pelos desenvolvedores e está “na mira” de cibercriminosos. Quando essa vulnerabilidade chega ao conhecimento dos desenvolvedores, zero dias é o prazo para corrigir a vulnerabilidade antes que um ataque aconteça.

E por que você precisa saber o que é e como funciona um ataque de dia zero? Porque conhecer as ameaças à TI da sua empresa é o primeiro passo para mantê-la segura e apresentando seu melhor desempenho.

Por isso, preparamos para você um artigo com as principais informações sobre falhas zero day, como elas são exploradas por hackers e quais as boas práticas para prevenir ameaças digitais e responder rapidamente, em caso de problemas.

O que é uma vulnerabilidade de dia zero?

Desenvolvedores de softwares estão sempre revisando seus produtos em busca de brechas de segurança e vulnerabilidades que demandem ajustes. A maioria dos patches e atualizações são relativos a melhorias e reparos de falhas de segurança.

Algumas vezes, vulnerabilidades de segurança são descobertas por outras pessoas, que não os fornecedores do software. Existem os whitehats, pessoas que se interessam em encontrar essas falhas em diversos softwares em circulação e reportá-las aos responsáveis.

O problema é que, com frequência, os descobridores não têm boas intenções ao descobrir uma vulnerabilidade e vão tentar explorá-la para atacar sistemas antes que sejam corrigidas.

O termo “dia zero” faz referência ao “dia um”, amplamente utilizado na publicação de correções de falhas de segurança. Como a brecha foi descoberta e está suscetível antes da sua localização e correção, ou seja, antes do dia um, é chamada de zero day.

A vulnerabilidade recém-descoberta deve ser sanada o mais rápido possível, para que hackers não tenham tempo de usá-la para atacar um sistema. O ataque Zero Day acontece quando um cibercriminoso se aproveita dessa brecha para atacar, antes que aquele software seja atualizado com uma correção.

Por que os ataques dia zero são tão perigosos?

Os ataques dia zero são realizados aproveitando uma vulnerabilidade que os próprios fornecedores daquele software não conheciam. Ou seja, os atores maliciosos aproveitam que há uma brecha ainda sem solução e tentam, a partir dela, ter acesso a sistemas e dados.

Um ataque zero day é, normalmente, realizado por meio de um email de engenharia social, ou seja, tentando convencer o usuário a realizar uma ação que aparenta ser legítima, mas que dará acesso aos arquivos e sistemas da empresa.

Vários sistemas são visados para exploração das vulnerabilidades de dia zero, incluindo:

  • Sistemas operacionais;
  • Navegadores da web;
  • Internet das Coisas;
  • Aplicativos do Office;
  • Componentes de código aberto, etc.

Uma vez dentro do sistema, os invasores podem ter acesso a dados confidenciais, informações sigilosas e sensíveis da empresa e de clientes, entre outros dados que, vazados ou corrompidos, podem causar prejuízos irreparáveis à empresa.

Quais são os riscos de estar vulnerável a um ataque zero day?

Após tomarem conhecimento de uma vulnerabilidade, os desenvolvedores trabalham para corrigi-la o quanto antes, impedindo o ataque. O problema é que, muitas vezes, a descoberta da falha não é reportada e só acontece após uma tentativa de ataque.

Nesse período, que pode ser de dias, semanas ou até meses, a brecha na segurança do software está aberta. E mesmo depois do lançamento da sua correção, é preciso implementar as atualizações para que o problema seja resolvido.

Enquanto isso, os hackers vêm aprimorando e se tornando cada vez mais rápidos ao explorar as vulnerabilidades zero day, ou seja, logo após sua descoberta. O alvo pode ser desde usuários individuais a grandes corporações, com diversos potenciais, como:

  • Dados sensíveis de usuários;
  • Informações confidenciais de empresas;
  • Propriedade intelectual;
  • Dispositivos comprometidos que possam ser convertidos em grandes botnets;
  • Ameaças políticas ou à segurança nacional.

Como se proteger de ataques zero day?

Não há muito mistério para proteger a infraestrutura de TI da sua empresa de ataques zero day. A principal dica é seguir as melhores práticas de segurança digital:

Mantenha as atualizações em dia

É fundamental manter os softwares utilizados pela empresa atualizados, minimizando o tempo em que seu sistema ficará vulnerável a ataques e sanando brechas assim que a “cura” for lançada.

A atualização da infraestrutura de TI também é importante para a segurança digital da empresa. Isso porque equipamentos sobrecarregados, obsoletos, ou que já apresentam alguma falha, estão mais suscetíveis a invasões ou panes.

Mantenha os sistemas “limpos”

É comum que, por falta de tempo, softwares que não são usados não sejam eliminados dos computadores da equipe. Esse hábito pode ser muito perigoso, já que quanto maior o número de programas instalados, mais possibilidades de ficar vulnerável a um ataque zero day.

A manutenção dos sistemas corporativos limpos também facilita na atualização em grande escala, dando maior agilidade à equipe de TI e minimizando erros e retrabalhos.

Invista em segurança

Aposte em soluções de segurança que contam com rastreamento de brechas em tempo real, gestão de senhas e detecção de phishing e outros malwares. Além disso, firewalls e outros recursos devem sempre estar atualizados e proteger tanto a infraestrutura de TI do escritório quanto o possível acesso remoto de profissionais em campo ou home office.

Eduque os usuários

Uma das maiores brechas de segurança da informação é, inegavelmente, o usuário. Principalmente ao lidar com profissionais que não são da área de TI, é preciso educá-los sobre a importância dos recursos e das boas práticas de segurança e o risco de não usá-los.

A equipe de TI deve promover treinamentos de segurança, além de estar disponível para dar suporte, esclarecer dúvidas dos demais usuários acerca das práticas de segurança digital e, principalmente, servir de exemplo ao seguir as boas práticas nos processos rotineiros.

Gerencie identidades e acessos

Além de evitar que uma pessoa que não precisa de acessar determinado arquivo possa fazê-lo e proporcionar uma oportunidade de invasão, o controle de acessos impede que um malware possa se alastrar ainda mais pelo sistema da empresa e causar danos maiores.

Conte com equipes especializadas

Contratar soluções e equipes especializadas para lidar com a infraestrutura e a segurança da TI da sua empresa resolve, entre várias questões, dois problemas de segurança. Primeiramente, garante que profissionais capacitados mantenham sistemas e infraestrutura atualizados e em pleno funcionamento.

Além disso, libera a sua equipe de TI para que ela possa focar no core business, investir mais tempo nas soluções para a melhoria dos processos internos, e ganhar agilidade na resposta a problemas como um ataque zero day.

Quer saber mais sobre segurança da informação? Baixe agora nosso infográfico e conheça as principais vulnerabilidades e ameaças de segurança no home office.

Assine nossa
newsletter

    Eu aceito receber mensagens e comunicações desta empresa
    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade

    Ebook
    do mês

      Eu aceito receber mensagens e comunicações desta empresa
      Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade