Microcity

Vida útil da TI: Como a depreciação de computadores afeta sua empresa?

Vida útil da TI: Como a depreciação de computadores afeta sua empresa?

A vida útil dos equipamentos da TI é uma determinante na hora de planejar os investimentos em computadores para a sua empresa. O cálculo da sua depreciação permite que a empresa possa planejar melhor a utilização do seu orçamento e fazer escolhas mais inteligentes na gestão e aquisição de equipamentos.

 

De pequenas empresas familiares à multinacionais de capital aberto, a infraestrutura de TI é, sem dúvida, parte indispensável de qualquer empresa. E uma das preocupações do setor de tecnologia (e do financeiro) é a depreciação de computadores.

A vida útil dos equipamentos da TI é uma determinante na hora de planejar os investimentos em computadores para a sua empresa. Mais do que economizar, conhecer o ciclo de vida dos ativos de TI otimiza as operações do seu negócio, aumenta a produtividade e possibilita investimentos mais inteligentes.

Ao compreender quais são as variáveis que impactam na depreciação de computadores, é possível planejar com maior precisão por quanto tempo eles serão usados pela empresa e quando serão feitas as substituições.

Com um gerenciamento de ativos de TI adequado, os equipamentos são mais bem aproveitados, evita-se o desperdício e os processos e rotinas do dia a dia se tornam mais ágeis e eficientes. Apresentamos alguns aspectos a serem considerados por você para compreender a depreciação dos computadores e como isso afeta a sua empresa.

Quais são as causas da depreciação?

O desgaste pelo uso e a obsolescência são os dois principais fatores que causam a depreciação de computadores. Com o uso, equipamentos eletrônicos sofrem desgaste e envelhecem, como qualquer outra ferramenta.

Ao mesmo tempo, a evolução tecnológica acontece em alta velocidade e as atualizações são feitas o tempo todo. Assim como computadores de alta performance há 5 anos já não suportam softwares atualizados, o próprio hardware também sofre upgrades.

Não apenas os equipamentos de TI evoluem. O próprio trabalho é renovado e funções mais complexas são adicionadas às tarefas profissionais das mais diversas áreas. Principalmente para empresas em crescimento, é comum que o computador usado no primeiro ano o negócio não tenha capacidade para processar os softwares usados após a evolução da empresa.

Computadores defasados ficam mais lentos, vulneráveis a ataques e apresentam maior risco de dar defeito. Por isso o gerenciamento dos ativos de TI (ITAM) é importante. É essa gestão que possibilita o planejamento da aquisição do computador, o acompanhamento de sua vida útil e sua substituição no momento mais oportuno.

Como se calcula a depreciação e a vida útil de equipamentos?

Uma das etapas essenciais para um ITAM eficiente o cálculo da depreciação dos equipamentos, que indica a perda de valor do computador ao longo dos anos.

A porcentagem de depreciação varia de acordo com o bem analisado e, no caso de computadores, é de 20%, de acordo com a Receita Federal do Brasil. A fórmula mais usada para o cálculo é simples: subtrai-se o valor residual do valor novo e divide-se esse resultado pelo tempo de vida útil em anos.

Vamos imaginar, por exemplo, um computador comprado novo por R$5000, com vida útil de 5 anos. Subtraímos R$1000 do valor inteiro e dividimos o resultado por 5, (5000-1000)/5=800. Assim, esse computador sofrerá uma depreciação de R$800 ao ano.

Esse cálculo é importante para o gerenciamento dos equipamentos de TI, para que novos investimentos sejam previstos com prazos e valores estimados corretamente. Além dele, a estimativa da vida útil do computador também faz parte das análises fundamentais para uma ITAM eficiente.

E assim como a depreciação, a vida útil também pode ser facilmente calculada. Basta multiplicar o prazo de vida do equipamento em anos pelo número de horas de uso em um ano. Dessa forma, o mesmo computador do exemplo anterior, usado por 8 horas diárias, em 250 dias úteis, terá uma vida útil de 10.000 horas.

São essas estimativas que permitem que você compare com propriedade qual equipamento tem um melhor custo-benefício para sua empresa. Essa análise também permite uma comparação das formas de se disponibilizar computadores e equipamentos de TI para sua equipe, seja compra ou locação.

Como a depreciação afeta a empresa?

Principalmente quando tratamos de ativos de TI e equipamentos de alta performance, a inovação é a principal causa da perda de valor de mercado. Mesmo que ainda em condições de uso, muitos computadores têm que ser substituídos por já não suportarem as atualizações necessárias em seus softwares e terem se tornado obsoletos.

Assim, é comum que empresas que prezam por um parque tecnológico atualizado decidam substituir seus computadores em até 3 anos, enquanto seu tempo de vida estimado é de 5 anos. Essa estratégia, além de manter alto nível de performance da operação e dos colaboradores, evita que os equipamentos percam muito o valor de mercado.

Por outro lado, quando se adota o padrão de aquisição de ativos de TI por Capex, essa é uma estratégia altamente dispendiosa, em que o dinheiro investido é perdido rapidamente com o tempo. O aluguel de equipamentos é uma alternativa para se transpor esse obstáculo.

A locação, ou outsourcing, permite que sua empresa substitua computadores rapidamente por novos e atualizados, adequando a disponibilidade das máquinas à necessidade da empresa e evitando as dores de cabeça com depreciação ou investimentos elevados de uma só vez.

O Opex-First tem se mostrado uma tendência eficiente para unir o melhor dos mundos entre tecnologia de ponta e orçamentos equilibrados. A opção pelo aluguel dos computadores ainda disponibiliza suporte e manutenção de acordo com a demanda da sua empresa.

Esse suporte garante que as ferramentas de trabalho e recursos de segurança estejam atualizados, mantendo o fluxo de trabalho sem interrupções e o foco da equipe no core business.

Quando está na hora de trocar o computador da empresa?

O ideal é que a vida útil dos computadores da empresa seja acompanhada pelo gerenciamento de ativos de TI, que deve prever a queda de desempenho das máquinas de acordo com o tempo de uso. No entanto, alguns sinais servem de alerta sobre a necessidade de atualização.

A lentidão é um dos principais sintomas de que algo está errado com um computador. Desde a demora para iniciar até a redução na velocidade do processamento de softwares de uso diário, um computador lento atrapalha a produtividade do profissional e indica a necessidade de manutenção preventiva ou mesmo da troca do equipamento.

O aumento do consumo de energia também está relacionado a problemas nos dispositivos. Equipamentos mais antigos começam a consumir mais energia, elevando os gastos da empresa. Da mesma forma, computadores mais novos e atualizados gastam menos energia. Quando se tem um parque computacional grande, a diferença pode representar uma grande despesa para o negócio.

Da mesma forma, o superaquecimento, desligamento sem motivos aparentes e o travamento são sinais claros de que um computador está sendo usado para além de sua capacidade ou está próximo do fim de sua vida útil.

No caso do outsourcing, o gerenciamento da vida útil da TI fica a cargo da empresa fornecedora. Assim, mantém-se o nível de desempenho das máquinas e produtividade das equipes. Um ITAM simplificado e mais eficiente, convergindo para melhores resultados de negócio.

Gostou desse conteúdo? Leia mais sobre Capex e Opex e saiba qual é a melhor opção para a TI da sua empresa.

Assine nossa
newsletter

    Ebook
    do mês

      Importante:
      Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Saiba mais acessando nossa politica de privacidade e nossos termos e condições