Microcity

Trabalho remoto pós-pandemia não é igual ao home office de isolamento

Trabalho remoto pós-pandemia não é igual ao home office de isolamento

Após a adoção massiva do home office como medida preventiva à Covid-19, muitas análises têm sido feitas sobre performance, resultados e a tendência do trabalho remoto pós-pandemia.

Com a retomada das atividades, essas análises tomam um caráter mais concreto, à medida que lideranças devem avaliar a volta – ou não – de suas equipes ao escritório. Com resultados gerais positivos, a adoção do trabalho remoto definitivo também envolve alguns desafios.

Se a sua empresa também está pensando em adotar o trabalho remoto como regime oficial de trabalho, trouxemos pra você considerações para realizar essa mudança de forma segura e estável.

Como funciona a política de trabalho remoto?

Para possibilitar a adoção emergencial do home office durante a pandemia, o governo federal emitiu a MP 927, que viabilizou a flexibilização de leis trabalhistas para que, entre outras coisas, o home office estivesse dentro da lei.

No pós-pandemia, essas medidas temporárias deixam de ter validade e os contratos de trabalho devem ser adaptados às leis trabalhistas caso o trabalho remoto se torne definitivo.

Algumas questões trabalhistas implicadas nessa mudança estão relacionadas ao controle de jornada, horas extras, disponibilidade de recursos para executar suas funções e até medicina do trabalho. Por isso, a adequação deve ser feita em conjunto com o Jurídico e o RH.

Como fica a gestão de pessoas em home office definitivo?

Além do aspecto legal, o modelo de gestão de RH, acompanhamento e controle da equipe também mudou. Os softwares de gestão de pessoas estão cada vez mais completos e fáceis de se aplicar, seja qual for o tamanho da sua equipe.

Outros aspectos estão mudando a nível comportamental. A valorização da produtividade em detrimento das horas trabalhadas, por exemplo. Em vez de se preocupar com o tempo trabalhado, lideranças acompanham metas atingidas e entrega de tarefas, valorizando produtividade e resultados.

O estabelecimento de um canal único de comunicação também é importante para manter equipes integradas e informadas. O padrão mantém informações e decisões reunidas em um só lugar, além de evitar ruídos e mal-entendidos.

O que mantém profissionais saudáveis?

Durante o isolamento social, a saúde física e mental das equipes em home office foi outro desafio enfrentado.

Aumento do sedentarismo, escritórios improvisados sem ergonomia, preocupação com o emprego, sua saúde e de familiares, o afastamento social e a falta de barreira entre vida pessoal e trabalho afetaram profissionais ao longo da pandemia. Os níveis de stress, ansiedade e os casos de burnout aumentaram.

Com o fim do isolamento social, algumas dessas questões serão amenizadas. No entanto, ao adotar um regime permanente de trabalho remoto, é importante proporcionar condições de trabalho adequadas.

Para o home office, muitas empresas estão fornecendo, além de computadores e dispositivos eletrônicos, mobiliário adequado para o escritório.

Outra adaptação para o trabalho remoto pode ser a substituição de benefícios. O valor do vale-transporte, que deixou de ser usado para deslocamento, pode se tornar um auxílio de luz e internet, por exemplo.

Para as interações sociais, equipes têm adotado mini reuniões online para descontração. Aqueles cinco minutos na cafeteria dão lugar ao cafezinho de casa em videochamada, mantendo as conversas com os colegas sobre o jogo de ontem ou o novo álbum daquela banda.

Ou seja, não basta que sua equipe continue a trabalhar de casa. É preciso que a cultura organizacional seja reinventada para que todos se sintam pertencentes e motivados. Afinal, profissionais saudáveis e satisfeitos têm melhor desempenho, talentos são retidos e os resultados melhoram.

Como organizar a estrutura da empresa para o trabalho remoto permanente?

A tendência do trabalho remoto não significa o fim dos escritórios, mas a modificação do modelo que conhecemos hoje.

As razões para manter um escritório montado variam da necessidade de cumprir um contrato locação de longo prazo a funções que demandam presença física. No entanto, as estações de trabalho devem se distanciar, criando ambientes mais arejados e menos densos.

Com essa nova configuração, é possível fazer um rodízio de profissionais presentes e em home office, sem que seja necessário aumentar o tamanho do escritório, por exemplo, já que aumentar o espaço entre estações de trabalho significa diminuir o número de mesas disponíveis.

Para aqueles que adotam o trabalho remoto definitivo, ainda pode ser uma opção manter ambientes funcionais, seja para treinamentos, suporte ou outras demandas pontuais que possam surgir.

Como garantir a Segurança da Informação?

A adaptação para o home office durante a pandemia foi feita às pressas, muitas vezes sem a adoção de importantes medidas de segurança de dados. Com a saída do escritório, muitas pessoas passaram a usar conexões inseguras e seus computadores pessoais para o trabalho.

Com esse movimento, aumentaram também os registros de ataques e invasões a sistemas, com hackers vendo uma oportunidade nessa brecha de segurança. Por isso, para que a sua empresa adote o trabalho remoto definitivo, é preciso que a infraestrutura e a segurança de TI sejam bem estruturadas.

A começar pelos equipamentos fornecidos, que devem dispor dos recursos de segurança mais adequados para sua demanda. Além de controles de acessos, senhas e licenças, criptografia de dados e demais recursos para garantir uma rede segura.

É importante lembrar que, com o fim da pandemia e a adoção do trabalho remoto permanente, as pessoas não precisarão, necessariamente, trabalhar de casa. Coworkings, restaurantes, cafés, hotéis, aeroportos e até mesmo praças são opções de local de trabalho.

Essa autonomia significa exposição a redes não protegidas e possivelmente inseguras. Por isso, propiciar uma rede interna segura, que minimize os riscos, é tão importante.

Além da infraestrutura de TI, é preciso instruir e capacitar todos os usuários dessas tecnologias. A equipe de TI é responsável por sanar as dúvidas das pessoas que adotam o trabalho remoto e educá-las sobre a importância de seguir protocolos de segurança, evitar comportamentos de risco e reportar falhas.

É comum que profissionais que não são da TI, trabalhando remotamente, não deem a devida importância aos protocolos de segurança da informação. A cultura de segurança deve ser fortalecida, enfatizando os riscos de comportamentos aparentemente inofensivos.

Como será o home office do futuro?

A urgência em adotar o home office como medida preventiva abriu portas e derrubou preconceitos à força. Muitas organizações que sequer cogitavam a possibilidade, às vezes por acreditar que sua atividade não permitia, perceberam que o modelo de trabalho remoto pode ser benéfico tanto para a qualidade de vida de sua equipe quanto para seus resultados de negócio.

Assim, vemos agora um movimento de aprendizado de como esse modelo pode ser incorporado como cultura organizacional. As empresas que se preparam para o futuro vêm encontrando as melhores maneiras para vencer os desafios dessa modalidade.

A adoção definitiva do home office passa pela reestruturação do seu modelo de negócio e pela forma como as relações de trabalho são encaradas. Por isso, é um processo a longo prazo. Ainda assim, a experiência forçada pelo coronavírus foi o empurrão necessário para muitas lideranças perceberem que é possível, viável e recomendável.

Gostou desse conteúdo? Aproveite para ler mais sobre a retomada das atividades pós pandemia e prepare-se com sua equipe para o futuro.

Assine nossa
newsletter

Ebook
do mês

Importante:
Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Saiba mais acessando nossa politica de privacidade e nossos termos e condições