Microcity

Como fazer a transição da sua empresa para a retomada pós-pandemia?

Como fazer a transição da sua empresa para a retomada pós-pandemia?

Passados mais de quatro meses desde o começo da pandemia mundial de covid-19, cidades e países estão reabrindo aos poucos suas atividades. Após as adaptações emergenciais, as empresas têm agora o desafio da retomada dos negócios pós-pandemia, se adequando ao “novo normal”.

As mudanças foram rápidas, urgentes e, muitas vezes, provisórias. Por questão de sobrevivência, organizações passaram por uma intensa transformação de processos e aderiram a uma rotina digital e remota. Em poucos dias, departamentos inteiros foram realocados para home office. Máquinas, conexões e acessos precisaram ser adaptados, dentro das limitações possíveis, para a nova realidade.

Parece ser consenso que o antigo “normal” não vai voltar mais. Pensando nessa retomada diante de um mundo diferente do que deixamos lá fora quando entramos para nossas casas no início do isolamento, trouxemos para você algumas reflexões para considerar no momento de reabertura.

Quais as mudanças que a pandemia trouxe para as empresas?

O setor de TI nunca esteve tão em evidência nas organizações como no período da pandemia. O isolamento impôs a digitalização dos processos e a adoção de soluções remotas. CIOs tiveram o grande desafio de adaptar toda a infraestrutura de TI em poucos dias para se adequar às novas realidades.

Passado o primeiro momento de caos e urgência, precisamos pensar no legado de mudanças impostas pela pandemia. É hora de compreender o que é bom e deve ser adotado como o novo normal e o que ainda carece de investimentos ou inovações.

A retomada pós-pandemia dos negócios será lenta e, certamente, várias medidas preventivas continuarão sendo observadas por muito tempo. O uso de máscaras no caso de doença e a limpeza constante de ambientes, por exemplo, devem se tornar rotina em vários estabelecimentos.

Também é provável que empresas tenham que adaptar seu espaço físico, respeitando o distanciamento de segurança, adotando revezamento de profissionais ou mantendo o trabalho remoto. Inclusive esta é uma tendência que veio para ficar. Mesmo depois da volta aos escritórios, estima-se um aumento do home office em 30%. A rotina de trabalho deve ser revista e analisada para cada setor da empresa.

Para diferentes profissionais, pode ser interessante adotar dias intercalados de home office com presenciais ou regime 100% remoto. Essas opções devem ser definidas conforme as demandas do negócio e do perfil profissional de cada um. O segredo para encontrar as soluções ideais, nesse caso, será a comunicação.

Líderes de TI, junto ao RH, devem ouvir as equipes e perceber se o trabalho remoto é possível e viável. Deve haver infraestrutura adequada disponível para uso em casa, os profissionais devem ter perfil compatível com este modelo e saber lidar com acompanhamento de resultados e produtividade também realizado remotamente. As empresas também precisam lidar com a questão da segurança dos dados corporativos, se precavendo com soluções para proteger suas informações fora do seu ambiente de rede interno.

A infraestrutura da empresa também deve ser analisada e reconsiderada. Os investimentos feitos em tecnologia no período da pandemia certamente não serão jogados fora. Porém é possível que possam ser complementados para uma infraestrutura mais adequada aos novos tempos.

Basta pensar que, quando falamos sobre tecnologia ou trabalho remoto, nunca falamos de um trabalho pronto. As estratégias de tecnologia de um negócio estão sempre sendo revistas e adaptadas. Isso porque as tecnologias mudam muito rápido e as demandas também.

Quais processos a tecnologia da informação pode facilitar?

Durante o período de isolamento social, empresas passaram a adotar computação em nuvem, videochamadas, chatbots, realidade aumentada, inteligência artificial, entre outros recursos. Adaptar processos e demandas ao mundo digital era necessário para melhorar ou manter a entrega de seu serviço ou produto ao cliente.

O e-commerce é um recurso que salvou muitos negócios e abriu oportunidades. Mesmo com a reabertura das lojas físicas, a tendência é de que o fluxo de compras online não diminua. Assim, essa é uma possibilidade que recebeu destaque na pandemia e veio para ficar.

Para melhorar as vendas online, os recursos se multiplicaram: redes sociais para divulgação de produtos e serviços, aplicativos de delivery, venda direta por aplicativo etc. A adaptação de cada setor para a modalidade de e-commerce é notável.

Em relação aos processos internos e prestação de serviços, o home office é, provavelmente, a grande tendência. A experiência forçada durante o isolamento tem apresentado resultados positivos. Com produtividade e eficiência melhorados, a nova realidade de trabalho remoto deve receber atenção para não comprometer os resultados a longo prazo.

Isso quer dizer que o home office deve ser incorporado como cultura da empresa, estratégia de negócio. Para a TI, a mudança se traduz em investimentos em cloud computing, laptops e demais hardwares necessários e adequados para cada profissional em home office. Conexões seguras com VPN, soluções de gestão de RH e segurança da informação são outras necessidades fundamentais.

Tudo isso para garantir que o tráfego de dados aconteça sem intercorrências, esteja a equipe onde estiver.

Quais recursos tecnológicos fazem a diferença nas empresas?

A transição pós-pandemia certamente manterá as tendências de inovação da TI. A mobilidade dos colaboradores, por exemplo, não é uma solução momentânea para a crise, mas sim uma revolução na forma de gerir seus negócios.

Além disso, com os processos cada vez mais digitais, é imprescindível investir em segurança. O controle de permissão e autenticação de acesso é essencial para proteger os dados da empresa, além de recursos como firewalls e antivírus atualizados.

Para garantir que os processos corram com fluidez e sem intercorrências, fazem parte da infraestrutura de TI conexões de qualidade e integração de serviços e processos.

E como nem só de infraestrutura se constrói bons resultados, contar com softwares de gestão de processos e de RH, acompanhamento de produtividade e outras ferramentas de integração da equipe faz toda a diferença nos resultados de negócio.

Em que mais você tem que pensar? Lembre-se que, com o trabalho remoto, o suporte técnico também deve ser primariamente remoto. No entanto, apesar de 95% do trabalho de suporte poder ser realizado remotamente, alguns problemas só podem ser resolvidos presencialmente e é preciso ter um suporte à disposição para esses casos.

Gostou desse conteúdo? Leia também sobre as tendências de mobilidade e TI e esteja por dentro de como esta inovação pode ajudar o seu negócio.

Assine nossa
newsletter

    Ebook
    do mês

      Importante:
      Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Saiba mais acessando nossa politica de privacidade e nossos termos e condições