Microcity

Monitoramento de TI: Qual a importância e como fazer na sua empresa

Monitoramento de TI: Qual a importância e como fazer na sua empresa

O monitoramento de TI é uma tarefa importante na gestão de TI possibilitando maior disponibilidade da infraestrutura. A partir desta prática é possível identificar possíveis problemas que possam impactar a produtividade da empresa como lentidão operacional, sistemas ociosos, equipamentos desatualizados e antecipar soluções sem prejuízo a operação da organização.

 

O conhecimento popular nos avisa: é melhor prevenir do que remediar. No mundo corporativo digitalizado de hoje, o monitoramento de TI é o processo que representa e mostra bem a força desse ditado.

Monitorar é manter na rotina da empresa o acompanhamento de toda a infraestrutura de TI, garantindo disponibilidade e agilidade. Com o monitoramento, é possível prever falhas, antecipar tendências e trabalhar estrategicamente para promover a melhor experiência aos usuários da rede corporativa.

Preparamos esse conteúdo para esclarecer para você como acontece o monitoramento do ambiente de TI e porque fazê-lo na sua empresa.

O que é o monitoramento de infraestrutura de TI?

O nome dessa prática é quase autoexplicativo. O monitoramento da TI é o processo contínuo de acompanhamento das atividades operadas pela infraestrutura de TI, permitindo a identificação imediata de inatividade inesperada, invasão de rede e saturação de recursos, por exemplo.

Monitorar a performance dos recursos tecnológicos é importante para a gestão de TI, pois alimenta com dados frequentes os indicadores de performance. São esses indicadores que permitem que a análise do uso desses recursos seja feita com mais precisão e, consequentemente, deixando o planejamento da gestão de TI mais bem embasado.

O monitoramento é feito em toda a infraestrutura de TI, incluindo hardware, software, redes e instalações. Como é um processo de acompanhamento, deve ser cíclico e frequente. Portanto, é uma daquelas rotinas que, uma vez implementadas, não cessam. E essa constância é um dos segredos para que o processo seja bem feito e mantenha os bons resultados.

Qual a importância do monitoramento do ambiente de TI?

Dada a importância estratégica que a infraestrutura de TI representa dentro de uma empresa, é fundamental que ela funcione perfeitamente e entregue a melhor performance para seus usuários. Acompanhar é necessário para que isso aconteça em tempo integral, sem interrupções.

Mas não é somente para manter sistemas e redes funcionando que o monitoramento de TI é adotado. Dentre as vantagens de se implementar esse processo, podemos listar melhores resultados para recursos dos financeiros aos humanos.

Redução de custos

O monitoramento de TI resulta na redução de custos em várias frentes. Em princípio, é possível estimar com mais precisão os recursos necessários para desempenhar as funções da empresa, evitando o desperdício e a alocação incorreta desses recursos.

Além disso, o monitoramento permite o melhor planejamento de manutenções e atualizações da infraestrutura de TI, minimizando falhas e interrupções no serviço e evitando reparos emergenciais.

Prevenção de problemas

Manutenções e atualizações em dia evitam falhas nos sistemas e interrupções das atividades da empresa. Além disso, a redução do downtime é notável, visto que as equipes estão mais bem preparadas para solucionar qualquer adversidade.

Mais produtividade e eficiência

A fórmula é simples. Com equipamentos dimensionados de acordo com a demanda da equipe e disponibilidade dos recursos tecnológicos, o trabalho flui. As respostas são mais rápidas e os resultados de negócios melhores.

Ao tratarmos especificamente o time de TI, mais uma vantagem. O monitoramento diminui as demandas de “apagar incêndios”, otimizando o tempo da equipe e permitindo maior foco nas atividades estratégicas da empresa.

Ciclo de vida otimizado

O monitoramento do ambiente de TI proporciona melhor aproveitamento dos recursos tecnológicos e, ainda, sua conservação mais apropriada. Para a empresa, isso resulta no aumento da vida útil dos ativos de TI e na otimização do seu ciclo de vida.

Por fim, o processo já é meio caminho andado para uma gestão dos ativos de TI mais estratégica e eficiente.

Quais são os tipos de monitoramento?

Existem vários modelos de monitoramento de TI, que devem ser estudados para selecionar a melhor opção para a sua empresa. Apresentamos três mais comuns para o acompanhamento de softwares.

Simples

Esse tipo de monitoramento acontece sem um agente, e, por sua simplicidade e limitação, é menos utilizado. Seu funcionamento acontece por meio de um sinal, chamado de ping, que significa a resposta positiva para a execução de um serviço ou processo. O retorno positivo é registrado como 1 e, em caso negativo, 0.

Agentes

Nesse caso, um agente do software é instalado no sistema para coletar métricas, dados, memória e outros itens. Esse tipo de monitoramento permite uma grande personalização usando scripts complexos, o que a torna interessante para as empresas com demandas mais específicas.

SNMP

O Simple Network Management Protocol usa uma linguagem comum a vários sistemas operacionais e ativos, sendo mais interessante para empresas com diferentes fornecedores. Esse tipo de monitoramento segue o modelo de gerência OSI, designando um ou mais gerentes para as informações de todos os outros ativos.

Como fazer um bom monitoramento de TI na empresa?

O monitoramento é um dos processos da gestão de TI, que deve ser feita de forma estratégica, com o objetivo de otimizar o desempenho da infraestrutura disponível. Independente de assumir o monitoramento com a TI da empresa ou ter um parceiro, é preciso seguir alguns passos básicos.

Definição das métricas

O primeiro passo é definir quais são as métricas relevantes para serem monitoradas. Nessa etapa, é preciso levar em conta as prioridades de acompanhamento, considerando quais são as tecnologias críticas para as operações da empresa.

Em geral, o objetivo da coleta dos dados será avaliar os pontos fortes e fracos da TI, criando estratégias e ações para corrigir ou amenizar as fragilidades. Para isso, é importante saber se suas métricas serão voltadas para a identificação de oportunidades ou incertezas, nível de produtividade, detecção de falhas ou outro objetivo, de acordo com a estratégia de negócio adotada.

Gerenciamento das configurações

Uma vez definidas as métricas, é hora de configurar os métodos de monitoramento e, de fato, iniciar a coleta dos dados. Nessa etapa, é necessário ter atenção à segurança da informação, evitando o vazamento de dados sensíveis e assegurando a sua proteção.

Também é bom lembrar que não se pode parar, bloquear ou atrasar as atividades de rotina da empresa para que o monitoramento aconteça. Afinal, o objetivo é otimizar o desempenho e não piorá-lo.

Documentação e relatórios

Além da análise dos dados, a geração de relatórios para acompanhamento é indispensável para garantir a progressão do processo e padronizar ações e estratégias, além de facilitar o acesso a análises e soluções anteriores.

O ideal é que se use um software apropriado para agilizar e evitar falhas no processo de documentação e para o registro e análise dos dados. O uso das ferramentas adequadas otimiza o processo e fornece resultados mais assertivos para o monitoramento de TI.

Gostou desse conteúdo? Leia também sobre ciberataques e saiba como manter a TI da sua empresa em segurança.

Assine nossa
newsletter

    Ebook
    do mês

      Importante:
      Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Saiba mais acessando nossa politica de privacidade e nossos termos e condições