Microcity

9 tendências de TI para 2021 que você precisa acompanhar segunda-feira, dezembro 7, 2020

As principais tendências de TI para 2021 estão relacionados a centricidade nas pessoas, a mobilidade das empresas e a entrega resiliente. Essas temáticas ganharam força a partir da necessidade de desenvolver soluções que permitam orientar as organizações no futuro.

Após um ano de reviravoltas econômicas e grandes adaptações emergenciais, o mundo corporativo se prepara para um 2021 de retomada de crescimento e desenvolvimento digital. Nesse cenário onde a tecnologia é ferramenta fundamental para a continuidade das operações, acompanhar as tendências de TI é estratégia de sobrevivência.

A revolução tecnológica tomou uma velocidade vertiginosa no ano que chega ao fim, impulsionado principalmente pela necessidade de adaptação ao cenário de pandemia mundial. Para manter suas operações, as empresas tiveram que se adaptar aos processos digitais, assíncronos e remotos.

Em 2020, as empresas tiveram que se adaptar aos processos digitais, assíncronos e remotos para manter suas operações.

Nessa levada, a computação em nuvem, automação, AI e machine learning foram alguns dos tópicos mais preciosos para a tecnologia corporativa. Para 2021, a tendência é envolver os processos e operações com tecnologia de forma ainda mais inteligente e autônoma.

O Instituto Gartner, como de costume, lançou suas análises sobre as principais tendências de tecnologia para o próximo ano. A análise do Instituto leva em consideração estratégias que já vem sendo adotadas com sucesso e as novas soluções de TI que grandes organizações já estão de olho. 

De acordo com Brian Burke, vice-presidente de pesquisa do Gartner, “os desafios socioeconômicos sem precedentes de 2020 exigem a plasticidade organizacional para transformar e compor o futuro”. Para Burke, o momento é de adaptação e resiliência por parte das corporações.

Essa visão estratégica segue três temas principais, que permeiam todas as tendências apontadas pelo Gartner: foco nas pessoas, independência de localização e entrega resiliente.

Quais as tendências de ti para os próximos anos?

De forma geral, a tendência é de permear ainda mais as operações e tomadas de decisão da empresa com tecnologia inteligente. Isso quer dizer que tudo o que tiver potencial, deve ser automatizado e digitalizado.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Citrix, a área de TI está mais valorizada do que nunca. Seu papel já não se resume a garantir a entrega da tecnologia. Proporcionar uma boa experiência e ajudar a empresa a entregar bons resultados com flexibilidade e resiliência é um dos objetivos da TI que ultrapassa sua compreensão tradicional.

As tendências de mudanças apresentadas pelo Grupo Gartner para os próximos anos não são independentes. A intenção é de que elas sejam combinadas, reforçando umas às outras. Uma combinação dessas práticas é o que se espera para orientar as estratégias de TI das organizações nos próximos cinco a dez anos.

Nos próximos tópicos, vamos acompanhar cada uma das nove tendências apontadas para a TI, que são:

 Internet de Comportamentos (IoB), Malha de Segurança Cibernética, Experiência Total (TX), Negócio Inteligente Combinável, Hiper automação, Operações em Qualquer Lugar, Engenharia de IA, Nuvem Distribuída e Computação que Aprimora a Privacidade.

Internet de Comportamentos

A aplicação da Internet of Behavior (IoB) já vem sendo observada em muitas organizações para garantir os protocolos de segurança em relação ao coronavírus e ao uso de EPIs, por exemplo.

Ao voltarem para seus postos de trabalho após o período de isolamento, muitos profissionais passaram a ser observados pelas máquinas, que alertam sobre o uso de máscaras, a higiene adequada das mãos e o distanciamento social.

A coleta de dados por dispositivos IoT fornece diversos insights sobre comportamentos e preferências dos usuários

O objetivo do uso da IoB é aproveitar dados coletados sobre o comportamento das pessoas para influenciar ações por meio de ciclos de feedback. Assim, é possível reunir informações digitais e do mundo físico para analisar o comportamento de um grupo de interesse.

Mas uso da Internet de Comportamentos não se restringe ao cumprimento de protocolos de saúde e segurança. A tecnologia pode incluir e processar dados comerciais de clientes, dados de cidadãos processados pelo setor público e agências governamentais, mídia social, implantações de reconhecimento facial de domínio público e rastreamento de localização.

A IoB pode ser usada para influenciar o comportamento do consumidor, para adequar práticas e rotinas de equipes internas, avaliar a necessidade de treinamentos e melhorias nos processos de segurança ou para encontrar soluções mais eficientes de logística, por exemplo.

É importante ressaltar que o uso de IoB pode ter implicações éticas e sociais, dependendo dos objetivos e da forma de uso dos dados. As leis de privacidade, que variam bastante de acordo com o país, devem ser observadas ao se adotar a Internet of Behavior.

Malha de Segurança Cibernética

A malha de segurança cibernética é a tecnologia que protege o pilar da independência de localização. Essa arquitetura distribuída permite que o perímetro de segurança seja definido em torno da identidade de uma pessoa.

Isso significa, essencialmente, uma abordagem de segurança mais modular e responsiva, centralizando as políticas e distribuindo a aplicação. Esse modelo elimina a limitação geográfica da segurança da informação e evolui para as necessidades atuais.

Experiência Total (TX)

A Experiência Total (TX) é uma abordagem completa, que inclui a experiência do cliente, experiência do funcionário e experiência do usuário para compor um resultado geral melhor.

Experiência total (TX)

A ideia é enxergar essas experiências diferentes como um único sistema que, aprimorado uniformemente, gera resultados de negócios muito mais sólidos e vantagens competitivas difíceis de se replicar.

Essa abordagem, em contraposição à melhoria individual da experiência de usuário, do cliente ou do funcionário, permite uma experiência mais segura, mais integrada e eficiente para todos os envolvidos.

Negócios Inteligentes Combináveis

A ideia do Negócio Combinável é uma mudança no modelo de negócio tradicional, adotando uma mentalidade de agilidade e adaptação. A nova mentalidade permite que a empresa se readapte rapidamente a mudanças no cenário, com tomadas de decisão rápidas baseadas nos dados disponíveis.

Esse modelo de intelligent composable business deve estar consolidado sobre uma política de acesso à informação, aumento da autonomia e democratização, e redução de processos burocráticos ineficientes. Essa fórmula deve resultar em tomadas de decisão ágeis e respostas imediatas às implicações de novos cenários.

Negócios Inteligentes Combináveis

Hiperautomação

Para o Instituto Gartner, as organizações terão que se embasar em eficiência, eficácia e agilidade de negócios para manter a competitividade, ou não terão chance. E a melhor forma de se investir em eficiência e agilidade é automatizar.

Dessa forma, os processos devem ser enxutos, otimizados e integrados. Para isso, é preciso automatizar tudo o que possa ser automatizado na empresa. A hiper automação elimina custos e problemas complexos e desnecessários.

Operações em Qualquer Lugar

O modelo de operações em qualquer lugar foi, sem dúvida, impulsionado pela necessidade de distanciamento social devido à Covid-19. Com o trabalho remoto e novos hábitos de consumo, as operações da empresa devem se adaptar para que possam ser realizadas em qualquer lugar.

O modelo segue a ideia de “digital first, remote first”. Dessa forma, as operações remotas e digitais são priorizadas mesmo em espaços físicos, como o auto check-out em lojas físicas, por exemplo. Tudo o que pode ser transformado em serviço remoto, agiliza o negócio e amplia as oportunidades.

Até 2023, a previsão do Gartner é de que 40% das organizações adotem as operações em qualquer lugar, oferecendo experiências mais ágeis e otimizadas.

Engenharia de IA

A Engenharia de Inteligência Artificial converge os projetos isolados de IA em um processo estratégico integrado e robusto. Esse modelo facilita o desempenho, escalabilidade, interpretabilidade e confiabilidade dos projetos de IA.

A Engenharia de IA adiciona valor aos investimentos da área, proporcionando mais estrutura para lidar com questões de confiança, transparência, ética, interpretabilidade e conformidade. Dessa forma, a IA passa a ser parte integrante do processo DevOps, e não um pedaço isolado da infraestrutura de TI.

Nuvem distribuída

Uma tendência de evolução da computação em nuvem, a nuvem distribuída partilha o serviço de nuvem pública para diferentes locais físicos. Ao mesmo tempo, a operação e gestão dos serviços permanecem de responsabilidade do provedor de origem.

Essa nova tendência, após um período de centralização do armazenamento em nuvem públicas, surge da necessidade de oferecer suporte a sistemas de edge-computing, que precisam ocorrer perto da fonte de dados.

O modelo de nuvem distribuída reduz a latência, o congestionamento da rede e o risco de perda de dados.

Esse modelo é diferente do multicloud, que significa executar mais de uma marca de nuvem pública. A nuvem distribuída parte de uma mesma central de origem, distribuindo o serviço, mas não sua governança.

Tecnologias que aumentam a privacidade (PETs)

A computação que aprimora a privacidade, privacy-enhancing technologies em inglês, é uma importante tendência para garantir a compliance de LGPD e outras legislações de proteção de dados em diferentes países. Essa tendência possibilita a colaboração de organizações nas pesquisas de forma segura, com concorrência e sem abrir mão da confidencialidade.

Essa tecnologia apresenta três etapas que protegem os dados enquanto estão sendo utilizados. De acordo com o Gartner, “a primeira proporciona um ambiente confiável no qual os dados sensíveis podem ser processados ou analisados. A segunda realiza o processamento e a análise de forma descentralizada. A terceira criptografa os dados e algoritmos antes do processamento ou análise.”

Dessa forma, possibilita-se o compartilhamento de dados, mantendo a privacidade e a segurança. A análise do Gartner prevê que 50% das organizações adotem soluções de processamento de dados que vão de encontro às tecnologias de aprimoramento de privacidade nos próximos cinco anos.

Como as tendências de 2021 vão impactar a gestão de TI?

Além das tendências gerais de tecnologia para os próximos anos, as previsões das mudanças na forma de gerir a TI também são afetadas pela necessidade de reestabelecimento, reinício e resposta a um mundo de incertezas.

De acordo com Daryl Plummer, vice-presidente e Gartner Fellow, “o mundo está se movendo mais rápido do que nunca, e é essencial que a tecnologia e os processos sejam capazes de acompanhar as necessidades de inovação digital”.

Por isso, os CIOs têm um papel crucial na condução das inovações tecnológicas como resposta às mudanças do mundo. As novas tecnologias serão responsáveis por um “reset” no modelo de negócio tradicional, promovendo eficiência e agilidade na empresa.

Entre as tendências apresentadas pelo relatório do Gartner, está o aumento da responsabilização do CIO pelos resultados operacionais dos negócios, dado o seu conhecimento da tecnologia que facilita o impacto comercial, aumentando a eficácia empresarial.

Várias tendências de gestão são relacionadas à guinada que as inovações tecnológicas tendem a dar nos próximos anos. Para acompanhar a velocidade da mudança, as empresas deverão investir em um novo modelo de gestão de TI, mais ágil, mais eficiente e modular. Sem essa adaptação, a empresa ficará defasada rapidamente e perderá em competitividade de mercado.

De forma ampla, as inovações tecnológicas também apontam para um foco grande nas pessoas. A tecnologia será usada para acompanhar a “voz da sociedade”, que se ignorada pela empresa pode representar perda de valor da marca e até mesmo gerar problemas de imagem.

Tecnologia centrada no usuário - Tendências de TI

Além disso, a readequação do espaço físico dos escritórios também demonstra o foco nas pessoas. Seja para melhorar a experiência de usuários, funcionários e clientes, seja para atender a novas demandas, como instalações de educação e cuidado infantil, por exemplo. Essas demandas se tornaram mais latentes após a pandemia e não podem ser ignoradas pelos gestores.

As tendências apresentadas pelo Instituto Gartner são previstas para os próximos 5 anos. Para acompanhar as mudanças e não ficar pra trás, é interessante contar com um parceiro de tecnologia atualizado no mercado.

Parcerias e relacionamentos que compartilham a mesma visão da sua empresa, prezando por um modelo de negócio inovador, ágil e eficiente, facilitam a jornada para o crescimento e os bons resultados.

As tendências de TI apontam para mudanças dramáticas e em velocidade recorde nos próximos anos. Para acompanhá-las, é preciso atenção, estratégia, agilidade e respostas rápidas às novas demandas do mercado.Se você acredita que a sua empresa está pronta para o futuro e quer começar 2021 com uma parceria de TI que acompanha as tendências, conheça a Microcity e saiba como podemos ajudar o seu negócio com as melhores soluções de tecnologia.

Fale com nossos consultores
Se interessou por este conteúdo?

Preencha o formulário abaixo para continuar lendo este artigo e muito mais.





Fique tranquilo. Os seus dados estão seguros com a Microcity