Microcity

Lojas inteligentes: como o varejo se prepara para o novo perfil do consumidor

Lojas inteligentes: como o varejo se prepara para o novo perfil do consumidor

A tecnologia faz parte do dia a dia das pessoas, seja em casa, no trabalho ou na hora do lazer. Os aplicativos proporcionam mais agilidade e praticidade em diversos momentos, e na hora de realizar compras, não é diferente. O consumidor se acostumou com a experiência das compras online e espera que as lojas físicas correspondam às inovações. Para responder a essa demanda, o varejo aposta no conceito de lojas inteligentes.

Especialistas apontam que, para conquistar o consumidor, é preciso ir além do preço e do produto. Por isso, no post de hoje, você vai saber mais sobre como uma experiência única e moderna pode se tornar a chave estratégica para aumentar e fidelizar o tráfego no varejo.

O que o consumidor procura

Difícil não se habituar às facilidades que a tecnologia proporciona, não é mesmo? Poder escolher o produto que você deseja e recebê-lo na porta da sua casa com apenas alguns cliques ajuda a tornar o cotidiano menos atribulado. Mas, ainda assim, a possibilidade de experimentar uma calça antes de comprá-la ou de testar um novo equipamento de limpeza, muitas vezes, é a escolha do consumidor.

Uma pesquisa da empresa Deloitte revela que 90% das vendas mundiais ainda são realizadas nas lojas físicas. O dado destacado por Alan Ordonhez, diretor de Planejamento da Pullse, mostra como mesmo diante do crescimento do e-commerce, o meio tradicional de compras ainda é o preferido.

O desafio, portanto, é garantir que o cliente terá uma experiência prazerosa o suficiente para voltar à loja, desde tecnologias que agilizam o atendimento até detalhes que fazem toda a diferença, como a climatização adequada dos ambientes.

Além do momento da compra em si, o consumidor busca uma marca com valores similares aos seus. Isto é, que respeita o meio ambiente ou que incentiva a igualdade de gênero na contratação de seus empregados, por exemplo. Tudo isso pode ser mostrado e oferecido na loja física.

Interação de elementos nas lojas físicas

As lojas inteligentes oferecem ao cliente uma experiência de compra positiva. Ou seja, elas são planejadas para unir elementos físicos e emocionais que façam o consumidor assimilar o processo de interação com a empresa da melhor maneira possível ao adquirir um produto.

Essa união de elementos é destacada por Lisa Haddock, professora de marketing da Fowler School of Business da Universidade Estadual de San Diego, em entrevista ao portal WBI. Segundo ela,  as lojas inteligentes de tijolos e cimento “têm coisas que permitem usar todos os seus cinco sentidos”.

O mesmo afirma Heidi O’Neill, presidente do departamento direto ao consumidor da Nike, à MarketWatch em entrevista destacada pelo portal WBI. “Foram-se os dias passivos de tráfego de rua. Trata-se de conectar e acolher de volta nossos clientes”, resume ele.

Lojas inteligentes: tendência no varejo mundial

Para garantir o efeito positivo da experiência de compra, o varejo tem apostado em diferentes estratégias. O grupo Carrefour, por exemplo, anunciou o modelo de entrega e coleta drive-thru. O serviço oferece a possibilidade de o cliente realizar suas compras, via site ou aplicativo, e retirá-las de carro em estrutura construída no estacionamento.

O Sam’s Club, clube de compras do Walmart, lançou um aplicativo que agiliza o processo de compras nas lojas físicas. É possível escanear pelo smartphone os códigos de barras dos produtos e adicioná-los ao carrinho de compras do aplicativo. Na sequência, basta clicar no botão “finalizar” para acessar o valor total.

As lojas inteligentes trabalham ainda com recursos que fornecem dados estratégicos para o negócio como os Mapas de Calor, tecnologia oferecida pela Microcity. A Via Varejo está colocando em prática essa ferramenta para entender melhor o fluxo de processos nas vendas presenciais em lojas de grandes redes de varejo de eletrodomésticos.

Tecnologia para se manter no mercado

A partir dessa nova proposta de venda, o cotidiano do cliente se transforma de maneira positiva. O varejo precisa estar atento a essa demanda e se adaptar para se manter no mercado, na avaliação de Alan Ordonhez, diretor de Planejamento da Pullse.

“Para um negócio se sair bem, é preciso que varejo físico e online caminhem de mãos dadas, e os empresários ou tomadores de decisões estejam atentos aos sinais que o mercado e as novas tendências de consumo direcionam”, explica o especialista. Por isso, as lojas inteligentes tornam-se cada vez mais uma realidade na vida dos consumidores.

Quer se preparar ainda mais para as inovações no setor do varejo? Leia agora o artigo 4ª Revolução Industrial: prepare-se para as mudanças do mercado no Microcitando, o blog da Microcity.

 

 

 

Assine nossa
newsletter

Ebook
do mês

Fale com a Microcity
Ou ligue para a Microcity (31) 2125.4200. Para contato comercial,
clique aqui.