Fale com um consultor Fale com consultor
Microcity

Trabalho em casa faz locações de equipamentos tecnológicos dispararem

 

Por causa do período de isolamento social, ocasionado pela expansão do novo coronavírus no Brasil, o trabalho em casa se intensificou, como uma maneira de evitar a propagação da doença. Desta forma, a crise se tornou uma aliada para empresas de tecnologia, que viram aumentar significativamente a demanda por locações de equipamentos, como computadores e notebooks, ampliando a quantidade de máquinas.

Em março deste ano, ao notar que haveria uma oportunidade de expandir as operações da marca cearense diante ao período de isolamento social, a CSI Locações fez um investimento de R$ 1 milhão e adquiriu 300 máquinas, o que rendeu seis novos clientes no Ceará, além dos 80 que já atendia no estado, de acordo com o CEO da empresa, Patrick Lima.

“Devido a crise, as empresas passaram a nos procurar. Cearense tem a mentalidade de ter o equipamento. Alguns empresários são resistentes em alugar. Porém, a situação mudou, uma vez que a demanda pelo home office aumentou, e a situação inverteu. Tanto é que lotou o nosso estoque”.

A expansão das operações, afirma Patrick Lima, fez a CSI Locações reformular os modelos de contrato, que, antigamente, duravam, pelo menos, um mês. Por causa do trabalho em casa e do investimento realizado, a marca estipulou seis meses como período mínimo. “Muitas empresas nos preocuparam para um contrato de longo prazo, mais de seis meses”, diz o CEO.

Oportunidades

Logo quando o novo coronavírus atingiu o Brasil, a Microcity, vendo que poderia haver um salto nas negociações, adotou uma medida preventiva e adquiriu 800 equipamentos para atender os nove clientes do estado do Ceará, segundo o diretor regional de vendas para GOV NNE CO da empresa, Aldair Gomes.

Em cima dos contratos que já mantinham, destaca, a empresa fez algumas ampliações para atendê-las neste período. O período que os clientes, que atuam nos setores da indústria e do comércio, ficarão com as máquinas, pontua o executivo, varia. Uns firmaram a parceria por três meses, outros, por seis.

“A pandemia surpreendeu as empresas, pois boa parte delas não estava com os planos de contingência prontos. Já tínhamos uma expectativa de que o atendimento seria para os clientes da base, que já mantêm contrato, não tínhamos expectativas para novos clientes. É um bom momento para nós”, assegura o executivo.

 

Fonte: Marcia Travessoni

Fale com a Microcity
Ou entre em contato no Fone: 0800-568-5688. Para contato comercial, clique aqui.