Fale com um consultor Fale com consultor
Microcity

O que é o gerenciamento de identidade e acessos e qual a sua importância na segurança digital?

O que é o gerenciamento de identidade e acessos e qual a sua importância na segurança digital?

O gerenciamento de identidade e acessos é a maneira de gerenciar o acesso para determinados dados e o tipo de privilégios de um conjunto de identidades digitais. Essa prática permite um controle sistemático e estratégico do acesso aos dados da empresa, evitando problemas de segurança digital.

 

Uma das grandes preocupações de qualquer empresa, atualmente, é a segurança digital. E um dos recursos usados para reforçá-la é o gerenciamento de identidade, que garante que apenas as pessoas autorizadas tenham acesso a determinadas informações.

Diferentes sistemas de IAM vêm sendo aprimorados e utilizados há muitos anos pelo mundo corporativo. No entanto, a evolução tecnológica vem proporcionando novas possibilidades e uma gama de combinações de recursos para assegurar a proteção de todo tipo de dados, dos públicos aos sensíveis e confidenciais.

Preparamos esse artigo com as principais informações sobre o que é o gerenciamento de identidades, como funciona e por que você deveria se preocupar com isso para assegurar a infraestrutura de TI da sua empresa.

O que é gerenciamento de identidade e acesso?

Conhecido como IAM, pela sua tradução do inglês Identity and Access Management, o gerenciamento de identidade pode ser considerado um termo “guarda-chuva”, por incluir diferentes tipos de ferramentas usadas com a mesma finalidade.

O IAM é a maneira de se gerenciar o acesso a determinados dados e o tipo de privilégios de um conjunto de identidades digitais. Ou seja, por meio do gerenciamento de identidade, o setor de TI determina quem pode visualizar ou manipular quais arquivos e dados corporativos.

O gerenciamento de identidade pode ser feito de forma analógica, como quando um porteiro solicita seu RG para permitir o acesso a um prédio. No entanto, principalmente com a revolução tecnológica, os recursos digitais passam a dominar o mundo corporativo, tanto para o acesso digital quanto físico.

Com um sistema de IAM, é possível gerenciar as funções e permissões de um usuário, rastrear suas atividades, criar relatórios sobre essas atividades e, com base na análise dos relatórios, criar políticas de melhoria contínua na segurança da informação e nos processos da empresa.

Ou seja, o gerenciamento de identidade e acesso permite um controle sistemático e estratégico do acesso aos dados da empresa. Dessa forma, ainda que haja algum incidente de vazamento ou acesso não autorizado, é possível encontrar os responsáveis e tomar as medidas necessárias para minimizar possíveis prejuízos.

Junto ao controle de acesso, o IAM é uma ferramenta fundamental na segurança digital da sua empresa, garantindo a proteção dos dados e a eficiência da infraestrutura de TI.

Saiba como se proteger dos riscos da Shadow IT

Como é feito o gerenciamento de identidade?

Ainda que você não tenha profundo conhecimento sobre o gerenciamento de identidades, é provável que já tenha ouvido falar na autenticação por dois fatores. Essa é uma forma combinada de IAM, que busca a correspondência de mais de um fator de autenticação entre a identidade apresentada e os registros de usuários cadastrados.

Esses fatores são, basicamente, características únicas que identificam um usuário, que poderão ser verificadas para comprovar que a pessoa que solicita o acesso de fato tem permissão para tal.

Existem três tipos de fatores de autenticação que são amplamente utilizados na IAM, que podem ser usados isolados ou em uma combinação de dois e até três fatores. São eles:

Algo que o usuário sabe

Esse é o fator de autenticação mais comum e amplamente utilizado na TI. Trata-se de alguma informação que apenas o usuário deve saber, como a combinação entre um nome de usuário e senha, por exemplo.

Algo que o usuário possui

Nesse caso, o usuário deve ter em sua posse algum token físico único, que garante seu acesso. Esse objeto pode ser um chaveiro com tecnologia NFC, um dispositivo USB ou, ainda, um smartphone que receberá por email ou SMS um código único do sistema para ser apresentado.

Algo que o usuário é

Por fim, existem as características físicas do usuário que podem ser utilizadas para comprovação da identidade, como os dados biométricos. O uso da impressão digital já se popularizou bastante para alguns usos, como desbloqueio de aparelhos eletrônicos ou acesso a contas bancárias.

O reconhecimento facial ou a leitura da íris também vem ganhando espaço, principalmente para a autenticação de acessos corporativos.

Quais são os benefícios do gerenciamento de identidade?

A adoção de um IAM gera diversas vantagens para a segurança digital da empresa, como:

  • Redução na complexidade do acesso, com um banco de usuários centralizado, onde todas as permissões são controladas de forma integrada;
  • Melhoria na proteção dos dados, visto que além da facilidade na identificação de acessos, é possível rastrear a atividade dos usuários;
  • Estabelecimento de permissões provisórias, com prazos determinados, que evitam que usuários terceirizados mantenham o acesso após o fim de um contrato, por exemplo;
  • Automatização de permissões, por meio da criação de grupos de usuários pré-definidos, reduzindo o trabalho ao adicionar ou excluir um usuário do sistema, bastando adicionar a nova conta a um grupo para garantir suas permissões.
  • Melhoria na compliance de TI, por meio da adoção de ferramentas que asseguram a proteção de dados sensíveis e pessoais.

Por que o IAM é tão importante para a segurança digital?

Nem todo mundo deve ter acesso a todo tipo de informação em uma empresa. E, para proteção dos dados, cada usuário deveria ter autorização para lidar apenas com as informações necessárias para executar suas funções.

Profissionais da TI, por exemplo, não devem ter acesso aos dados da folha de pagamento dos funcionários da empresa. O time de RH responsável pelo pagamento, por outro lado, precisa desse acesso, enquanto não deve ter autorização para instalar ou atualizar softwares.

Esse controle, além de evitar que dados sensíveis e confidenciais sejam vazados ou corrompidos, reduz os riscos de ataques cibernéticos. E isso é particularmente importante com a adoção de computação em nuvem e o aumento da mobilidade das organizações.

Com o amadurecimento dos negócios digitais e o crescimento da adoção do trabalho remoto, é mandatório que a segurança digital seja uma prioridade das empresas.

Isso porque os recursos de segurança baseados no perímetro de rede deixam de fazer sentido, já que os usuários podem estar em qualquer lugar fora do escritório da empresa. Ainda assim, apenas as pessoas autorizadas devem poder acessar os dados. Por isso ferramentas de segurança baseadas em identidade, como o IAM, são tão importantes.

Faz toda a diferença para a sua empresa contar com um parceiro que forneça a infraestrutura necessária para o trabalho remoto com soluções de segurança que garantam o acesso aos dados apenas a pessoas autorizadas. Dessa forma, sua empresa pode usufruir de todos os benefícios que o gerenciamento de identidade traz, possibilitando os melhores resultados de negócio.

Gostou desse conteúdo? Saiba mais sobre a tendência de Anywhere Work e porque a mobilidade e a segurança digital trabalham juntas para o futuro da sua empresa.

Assine nossa
newsletter

    Ebook
    do mês