Fale com um consultor Fale com consultor
Microcity

Futuro do trabalho: quais as principais tendências e como preparar sua empresa?

Futuro do trabalho: quais as principais tendências e como preparar sua empresa?

A inserção da tecnologia nas empresas e as mudanças causadas pela pandemia de coronavírus impactaram as perspectivas para o futuro do trabalho. As organizações acreditam que nos próximos anos ganhará força um modelo híbrido, assíncrono, com jornadas flexíveis e intermediado por plataformas digitais.

 

Ao longo de seu período mais crítico, a pandemia de Covid-19 acelerou vertiginosamente uma revolução digital que já vinha acontecendo no mundo na última década. Entre todas as mudanças catalisadas pelo coronavírus, o futuro do trabalho ainda é um tópico que paira sobre o mundo corporativo.

É notável que o trabalho sofreu e ainda sofre grandes transformações e não corresponde mais a como era conhecido antes. Do aumento no uso de tecnologias à mobilidade dos trabalhadores, as mudanças nas relações de trabalho afetam as mais diversas áreas e todos os níveis hierárquicos.

E não foi apenas a pandemia que provocou mudanças. O mundo volátil, incerto, complexo e ambíguo (VUCA – Volatility, Uncertainty, Complexity e Ambiguity) em que vivemos exige que estejamos preparados para nos adaptarmos às mudanças a todo momento. A pandemia apenas escancarou essa realidade para quem ainda não conseguiu vê-la claramente.

E para você ficar por dentro das tendências dos principais aspectos das mudanças que levarão ao futuro do trabalho, preparamos este artigo com as questões mais importantes para considerar sobre sua equipe e o seu negócio nesse momento de transição.

Quais as mudanças no ambiente de trabalho pós-coronavírus?

Falam muito sobre a “oficialização” do trabalho remoto após a pandemia, haja vista os bons resultados durante o tempo de confinamento. De fato, o trabalho remoto tem se mostrado uma opção de alta produtividade, menor custo e agilidade de processos.

Na verdade, essas mudanças já estão sendo apontadas como tendência desde antes da pandemia. O avanço tecnológico e soluções cada vez mais estáveis, confiáveis e seguras aproximam as empresas de ideais futuristas de um negócio digital, sem fronteiras.

No entanto, o futuro do trabalho não é o fim do escritório. Enquanto algumas funções demandam a presença física, o contato presencial dos escritórios também representa benefícios para o trabalho.

Algumas pessoas simplesmente gostam da rotina de ir para o escritório, outras não conseguem um ambiente tranquilo para trabalhar. Além disso, o convívio com os colegas é importante para estreitar os laços, construir confiança e familiaridade entre as pessoas, e aceitar os processos criativos das equipes.

A TI é pioneira na adoção do trabalho remoto e, atualmente, há poucas questões tecnológicas que não podem ser resolvidas à distância. No entanto, além de considerar a tecnologia necessária para mudar, é preciso atentar às particularidades da sua equipe.

Algumas questões devem ser ponderadas sobre o universo particular da sua empresa e time:

  • Todos estão satisfeitos em adotar o trabalho remoto?
  • Todos contam com espaço e infraestrutura adequados?
  • Haverá um acompanhamento das lideranças e do RH nessa fase de adaptação?

Muitas empresas estão adotando o regime híbrido de trabalho, em que as pessoas vão ao escritório alguns dias da semana e trabalham remotamente nos outros. Essa opção une diversas vantagens dos modelos presencial e remoto.

Dessa forma, é possível reduzir custos, aumentar a mobilidade e a flexibilidade, proporcionar mais qualidade de vida às pessoas e ainda contar com os benefícios dos encontros presenciais do time. É possível, ainda, projetar estações de trabalho mais espaçadas e arejadas, garantindo um ambiente arejado, limpo e seguro para todas as pessoas presentes.

Quais as mudanças no ambiente de trabalho pós-coronavírus?

Operações em qualquer ambiente

Uma tendência bem debatida atualmente, que vem sendo adotada por negócios de todos os setores, independente se optam pelo regime 100% remoto ou híbrido, é o anywhere work. Esse conceito representa uma revolução na cultura organizacional, já que não se trata apenas de adaptações técnicas.

O anywhere work trabalha com a ideia de que deve ser possível trabalhar de qualquer lugar. Isso significa mudar a forma como os processos digitais são compreendidos, tornando-os parte estrutural do negócio. Essa adaptação é feita em três eixos:

  • Pessoas – todos os profissionais devem compreender e absorver as mudanças, que permeiam a flexibilidade de horários, foco em resultados, novas formas de comunicação etc.
  • Processos – devem ser reestruturados do início, para que possam fluir sem ruídos e da melhor forma, onde quer que cada pessoa envolvida esteja.
  • Infraestrutura – a tecnologia disponibilizada para as atividades da empresa deve garantir mobilidade, flexibilidade, segurança e suporte, para que os profissionais possam exercer suas funções de qualquer lugar.

Pela perspectiva das operações de qualquer lugar, se as atividades da empresa forem projetadas para funcionar remotamente, elas também funcionarão presencialmente. Dessa forma, profissionais podem trabalhar de qualquer lugar onde for mais conveniente, confortável e produtivo no momento.

O importante é que todos os membros da equipe se sintam incluídos nos processos, estando eles no escritório da empresa, em casa ou em qualquer outro lugar.

Assim, se você deseja adotar o trabalho remoto para viver em outro estado, eu prefiro ir ao escritório todos os dias e um terceiro membro de nossa equipe quer apenas alguns dias em casa para passar mais tempo com os filhos, nosso trabalho continuará fluindo da mesma forma, sem prejuízos para nenhuma das partes.

O conceito de anywhere work é mais amplo do que simplesmente adotar o trabalho remoto, passando pela reestruturação da cultura organizacional e todos os processos da empresa. Por outro lado, os benefícios alcançados também podem ser bem mais amplos e abrangentes:

  • Mais qualidade de vida;
  • Maior produtividade;
  • Redução de custos com espaço físico;
  • Otimização de processos;
  • Atração e retenção de talentos;
  • Fim de limites geográficos para contratação;
  • Entre outros.

O que sua empresa pode esperar e como ela pode se preparar para o novo normal?

Como será futuro do trabalho após a pandemia?

Se a sua equipe vai adotar o trabalho remoto ou híbrido, é importante considerar adaptações em relação ao home office da pandemia. Afinal, ser obrigado a trabalhar confinado em casa é muito diferente de poder trabalhar remotamente. Dois aspectos fundamentais são a mobilidade e a flexibilidade.

Com o fim da recomendação de evitar locais públicos, o trabalho remoto deixa de estar relacionado somente à residência e uma gama de possibilidades surge, seja um café, espaço de coworking, de uma praça ou qualquer lugar onde a pessoa puder se conectar à internet.

Assim, o termo mobilidade ganha uma perspectiva mais ampla e a infraestrutura de TI da sua empresa deve ser compatível com esse modelo. Os recursos de segurança da informação, principalmente, devem garantir a proteção dos dados da empresa, de onde quer que a sua equipe os acesse.

Tecnologia nas atividades corporativas

As mudanças nas funções também refletem em mobilidade. Com o aumento do uso da automação, muitos cargos deixarão de existir para que outros surjam. Mas ainda que exista um certo receio de que “a máquina tomará o lugar do humano”, não é dessa forma que a mudança vai acontecer.

O futuro do trabalho deixa para os computadores as atividades repetitivas ou que envolvem uma quantidade sobre humana de informações, como Big Data. Enquanto isso, as pessoas estarão dedicadas a atividades mais criativas, analíticas, de controle e tomada de decisões.

O uso de dispositivos móveis também tende a aumentar, sejam laptops, tablets ou celulares, que permitem maior mobilidade e dão o tom do trabalho remoto.

Jornadas flexíveis priorizam a produtividade

Além da mobilidade, a flexibilidade também vem ganhando destaque nas previsões para o futuro do trabalho. Principalmente em empresas que já integraram a revolução digital à sua cultura, horários rígidos de trabalho perderam o sentido e estão sendo substituídos por jornadas flexíveis.

Essas jornadas flexíveis foram particularmente importantes durante a pandemia, quando famílias puderam revezar seu tempo livre/ de trabalho para adaptar à nova rotina, cuidando de filhos e compartilhando equipamentos e espaços da casa.

Mesmo passada a pandemia, a percepção de que jornadas flexíveis são positivas deve mantê-las como o novo normal. Assim, as pessoas passam a adaptar seus horários de trabalho à rotina mais produtiva e que proporcione mais qualidade de vida. Uma mudança ganha-ganha, já que pessoas mais felizes trabalham melhor.

Mais qualidade de vida não significa descontrole

Mas não se engane. Essa humanização do trabalho não significa relaxamento no controle da sua equipe. Softwares de gestão de projetos, processos e de RH permitem o acompanhamento preciso dos resultados de cada profissional.

O foco no acompanhamento do time passa a ser a produtividade de cada um, em detrimento das horas trabalhadas simplesmente. Com esse novo modelo, deixa de fazer sentido checar se os membros da equipe estão disponíveis toda hora. O importante é que eles entreguem suas demandas com qualidade e dentro do prazo.

Apesar de todos os aspectos positivos das mudanças, as lideranças, juntamente ao RH, devem estar atentas aos limites entre casa e trabalho de sua equipe. Com o trabalho em casa, misturar os assuntos profissionais com os domésticos pode ser uma armadilha.

Além do potencial de surgirem questões trabalhistas, como horas extras não autorizadas, por exemplo, a falta de barreira entre trabalho e casa pode gerar desgastes nas relações interpessoais dos profissionais e o aumento na ocorrência de problemas como burnout.

É preciso educar a equipe e construir com bases fortes a cultura do trabalho remoto, que exige confiança, responsabilidade e organização de todos os lados da operação.

Qual o perfil do profissional do futuro?

Qual o perfil do profissional do futuro?

Sem dúvida, com todas essas mudanças, o perfil de profissionais para o trabalho do futuro também está mudando. Já não esperamos mais fazer carreira em um só emprego, um curso não basta como formação e habilidades técnicas não são suficientes para um profissional de sucesso. E isso é apenas o começo.

As habilidades e competências procuradas por recrutadores em profissionais de diversas áreas, principalmente na tecnologia, incluem a capacidade de se adaptar a novas situações, a curiosidade em aprender sempre mais, o bom relacionamento interpessoal e a disposição para encontrar soluções.

Ou seja, muito além das capacidades técnicas, profissionais do futuro desenvolvem suas soft skills, entendem que sua qualificação profissional deve ser contínua (lifelong learning) e tem foco na entrega de resultados.

Pessoas com essas competências tendem a ser disputadas por diferentes empresas. Não porque elas têm o melhor currículo, mas porque elas são capazes de entregar resultados no que fazem. São profissionais que tomam a iniciativa para resolver problemas, inovam nas soluções de negócio e se importam com o que fazem, por isso dão o seu melhor.

E essa “disputa” por talentos é o que vem sendo chamada de empregabilidade nas discussões sobre o futuro do trabalho, que será mais valorizada do que uma carreira estável em uma só empresa. O que significa dizer que profissionais de sucesso serão as pessoas que não ficarão desempregadas, pois todas as empresas querem integrá-la ao seu time.

Como as novas tecnologias afetam o futuro do trabalho?

Como as novas tecnologias afetam o futuro do trabalho?

Com as adaptações feitas durante a pandemia, a digitalização de processos em muitas empresas foi abrupta para que os processos não parassem. Mas essa revolução digital não será descartada, pelo contrário.

O uso de Big Data e de cloud computing, por exemplo, já era uma realidade em muitas empresas que acompanham as melhores práticas de mercado. Com o futuro do trabalho se tornando presente, esses recursos se tornaram pré-requisitos para o andamento de processos diários básicos.

Seja em vendas, gestão, finanças, TI ou relacionamento, tudo está na nuvem. De reuniões a assinaturas de contratos, tudo acontece digitalmente. Da mesma forma, a coleta de dados para as mais diversas análises é essencial para qualquer departamento.

O avanço de diversas tecnologias depende do uso de Big Data, como a já popularizada Internet das Coisas, Inteligência Artificial e Machine Learning. É praticamente impossível se pensar em estratégias de marketing ou em atendimento ao cliente sem incluir o uso dessas tecnologias e de análise de dados.

Infraestrutura tecnológica para o trabalho do futuro

Enfim, chegamos no momento de falar da infraestrutura adequada e necessária para a viabilização de um trabalho remoto fluído, contínuo e sem intercorrências.

De soluções para conexão e notebooks atualizados a soluções inovadoras de gestão e cloud office, a tecnologia da informação envolve todos os processos da sua empresa e deve corresponder ao nível de qualidade do serviço prestado.

As mudanças na forma de trabalhar também demandam atualizações nos protocolos e políticas de segurança da informação. Afinal, as ferramentas de segurança baseadas em perímetros deixam de fazer sentido e precisam ser substituídas por recursos que protejam os dados em qualquer lugar.

O acesso de dados da empresa de redes domésticas ou compartilhadas desprotegidas, por exemplo, são riscos para informações estratégicas e confidenciais. Quanto mais digitais forem os processos, mais os setores de tecnologia serão exigidos para garantir a confiabilidade do processo e de toda a estrutura organizacional.

Por conta desse aumento da demanda por tecnologia e as adequações imediatas a serem feitas, ter um parceiro de TI pode ser interessante e tem sido o caminho de muitas empresas. A terceirização da TI é uma forma de atualizar e adaptar sua infraestrutura de TI às novas demandas de forma rápida e segura.

Seu fornecedor fica encarregado da infraestrutura necessária para o projeto da sua empresa e pela manutenção e suporte. Enquanto isso, sua equipe de TI pode se dedicar às soluções específicas do seu negócio, focando no core business.

O futuro do trabalho reflete as mudanças da nossa sociedade, em que as novas gerações buscam trabalhar com propósito, em empresas que compartilhem seus valores e visões de mundo, enquanto desfrutam de uma vida com mais liberdade, qualidade e conexão.

Os negócios do futuro serão aqueles capazes de acompanhar essas mudanças e adotar uma cultura organizacional com relações de trabalho mais humanas, que integram o propósito e a qualidade de vida do profissional, a criação de valor para o cliente e os melhores resultados para o negócio.

O futuro do trabalho integra a tecnologia à humanidade. É atemporal, móvel e dinâmico. E esse futuro é agora.

Gostou do nosso conteúdo? Leia mais sobre anywhere work e compreenda por que essa tendência representa o futuro do trabalho e a evolução dos negócios digitais.

Assine nossa
newsletter

    Eu aceito receber mensagens e comunicações desta empresa
    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade

    Ebook
    do mês

      Eu aceito receber mensagens e comunicações desta empresa
      Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade