Microcity

Quais são os ciberataques mais comuns e como proteger a sua empresa?

Quais são os ciberataques mais comuns e como proteger a sua empresa?

Os ciberataques aproveitam brechas e vulnerabilidades na segurança digital das empresas causando prejuízos para as organizações. Estes ataques podem ser evitados e prevenidos com cuidados na infraestrutura de TI e maior conhecimento sobre seu funcionamento.

 

Uma das principais preocupações de segurança da informação por todo o mundo corporativo são os ciberataques. Essas investidas mal intencionadas podem resultar em grandes prejuízos após a perda ou divulgação imprópria de dados.

Os ataques cibernéticos registraram aumento considerável durante a pandemia. Uma pesquisa realizada pela Kaspersky apontou que o Brasil é o país mais afetado por ciberataques a empresas, desde janeiro de 2020.

Criminosos aproveitaram as falhas de segurança nas empresas, que tiveram que se adaptar rapidamente ao regime de trabalho remoto sem a devida atenção à segurança. Medidas simples podem identificar e sanar essas brechas, evitando danos sérios à operação do seu negócio.

Quais os tipos de ataques cibernéticos?

Quanto mais a tecnologia avança, mais complexos ficam, também, os recursos usados com más intenções. Atualmente, a variedade de malwares (combinação da expressão malicious software) permite que criminosos ataquem de diferentes formas os mais variados sistemas.

Provavelmente o mais conhecido, o vírus se infiltra em um dispositivo normalmente por uma ação do usuário, como baixar um anexo de um e-mail. Além de atacar o dispositivo onde se instalou, o vírus tem capacidade de se multiplicar e infectar outras máquinas, semelhante ao vírus biológico.

Os chamados worms têm ação semelhante, com a diferença de que não dependem da ação de um usuário para se espalharem. O próprio software consegue se espalhar pelos computadores conectados a uma mesma rede.

Já os cavalos de tróia, ou trojans, são normalmente instalados pelo próprio usuário, se passando por uma ferramenta útil. Uma vez instalados, abrem caminho e facilitam diversos tipos de ataques cibernéticos.

Outro tipo de ciberataque que vem sendo muito aplicado a grandes empresas é o ransomware. Nesse caso, o software pode bloquear o acesso a arquivos, aplicativos, unidades inteiras de armazenamento e até mesmo o próprio sistema operacional. Como um “sequestro”, o criminoso cobra um resgate (normalmente pago em bitcoins ou outra criptomoeda) para que os dados sejam liberados.

Também com dinâmica de atuação diferente, os ataques DDoS têm como objetivo deixar um sistema muito lento e provocar sua queda. Isso é feito com um botnet, sobrecarregando o sistema com um tráfego de acessos muito intenso.

Como acontece um ataque cibernético?

Os ciberataques tendem a usar as brechas de segurança da informação para ter sucesso. De acordo com um teste de invasão de sistemas de informação corporativos, as duas principais falhas de segurança que facilitam a ação de criminosos são softwares desatualizados e senhas fracas.

O uso de softwares não licenciados ou desatualizados facilita a ação de bandidos cibernéticos, já que as atualizações são feitas, principalmente, para eliminar falhas de segurança. Da mesma forma, criminosos se aproveitam do uso de senhas fracas para acessar sistemas sem muita dificuldade, muitas vezes passando despercebido até que causem danos.

Outro fator de vulnerabilidade é o próprio usuário. Normalmente por desconhecimento ou negligência, são as próprias pessoas que abrem portas para que os ciberataques aconteçam. O phishing atrai o usuário com uma chamada de interesse e é muito utilizado no mundo corporativo em e-mails, arquivos ou links não confiáveis.

O aumento do trabalho remoto sem necessariamente a adaptação da infraestrutura de TI para a nova realidade transformou muitas empresas em alvo fácil para ataques. O tráfego por redes não seguras e o acesso ao sistema corporativo por meio de dispositivos pessoais sem os devidos recursos de segurança aumentaram a vulnerabilidade das empresas.

Para as equipes que pretendem adotar o trabalho remoto como regime preferencial, é preciso adaptar a segurança de TI à nova realidade. Isso inclui redes mais seguras, controle de acesso dos dispositivos móveis, ferramentas de proteção de dados e práticas e protocolos de segurança.

Como proteger uma empresa de ciberataques?

A proteção da sua empresa contra ciberataques é feita com um conjunto de recursos e ações. Apesar de não ser possível garantir 100% de proteção e zero risco, adotar essas medidas de proteção reduz as oportunidades de ataques cibernéticos, além de reduzir os danos, caso aconteçam.

Ter uma política de segurança da informação é uma estratégia de negócio importante para diminuir os riscos. Ela concentra todas as ações, normas e protocolos para assegurar a proteção dos dados da empresa.

No entanto, mesmo sem uma PSI, ainda é possível adotar pequenas medidas para proteger o seu negócio de ciberataques.

Mantenha sistemas e softwares atualizados

As atualizações são feitas para corrigir falhas de segurança nos softwares. Trabalhar com programas e sistemas licenciados e atualizados garante que todas as brechas de segurança já detectadas tenham sido sanadas nos softwares utilizados por você.

Proteja sua rede e sistema

Os recursos de segurança são inúmeros e devem ser combinados para cobrir diferentes aspectos. Antivirus, anti-malware, anti-ransomware, firewalls e outras soluções como proxies, ferramentas de criptografia e de detecção de invasão são algumas das ferramentas de SI.

É importante ter em mente que soluções gratuitas ou voltadas para o uso doméstico podem ter um custo menor, mas nem sempre são adequadas para proteger redes corporativas. Estude as melhores opções e invista em soluções corporativas para que o barato não saia caro.

Promova uma cultura de segurança da informação

Educar as equipes de todas as áreas da sua empresa é um processo contínuo e de extrema importância para proteger seus dados. Sendo o usuário o principal facilitador de ciberataques, treinar as pessoas sobre práticas de segurança é essencial para eliminar essa fragilidade.

Lembramos sempre que nem todos os usuários têm o conhecimento e a compreensão acerca da segurança da informação. Treinar e incentivar para que toda falha ou ameaça sejam reportadas é fundamental para que todas as pessoas permaneçam vigilantes.

Responda imediatamente às emergências

Quando a equipe está alinhada para a SI, qualquer falha de segurança ou tentativa de ataque é identificada e reportada imediatamente.

É importante que, ao primeiro sinal, sua equipe esteja preparada para executar os procedimentos de emergência. Afinal, quanto mais rápido agir, maiores as chances de recuperação dos dados e contenção de perdas.

Achou nosso artigo útil? Leia mais sobre Segurança da Informação e se prepare para manter os dados da sua empresa protegidos e íntegros.

Assine nossa
newsletter

Ebook
do mês

Importante:
Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Saiba mais acessando nossa politica de privacidade e nossos termos e condições