Fale com um consultor Fale com consultor
Microcity

CAPEX e OPEX em TI: Qual a melhor estratégia de investimentos em TI?

CAPEX e OPEX em TI: Qual a melhor estratégia de investimentos em TI?

Os modelos de CAPEX e OPEX apresentam características diferentes para a aquisição de ativos de TI por parte das empresas. Por conta disso, cada tipo de investimento modifica a gestão do orçamento, ampliando as possibilidades das empresas e oferecendo mais inteligência para a compra de ativos.

 

Toda empresa precisa investir em ativos para sustentar o seu negócio. Maquinário, veículos, infraestrutura de TI, adequação das estações de trabalho, entre vários outros, são alguns dos investimentos de toda empresa, seja qual for sua área de atuação.

Para realizar esses investimentos, a empresa pode optar por duas modalidades diferentes de aquisição de equipamentos, que estão associadas diretamente à estratégia adotada pelo negócio. O CAPEX e o OPEX são conceitos que, bem compreendidos e aplicados, podem ajudar a sua empresa a realizar investimentos de forma mais estratégica, inteligente e sustentável.

Essas duas categorias de aquisição são determinantes para a forma de utilização dos recursos e o monitoramento e gestão financeira do negócio. O estudo estratégico da melhor opção de investimento permite maior inteligência na gestão, economia, entre outros benefícios.

CAPEX e OPEX em TI: Qual a melhor estratégia de investimentos em TI?

No momento de transformação digital em que nos encontramos, onde seu negócio precisa acompanhar as inovações tecnológicas para manter-se competitivo, novos investimentos precisam ser estritamente calculados e planejados.

Para isso, é preciso ter um entendimento amplo sobre as possibilidades que o mercado oferece à sua organização, conhecendo profundamente possíveis impactos e possibilidades.

Para ajudar você, reuni algumas informações importantes sobre o assunto para que você possa tomar as melhores decisões de investimento para sua gestão.

Qual é a diferença entre CAPEX e OPEX?

CAPEX e OPEX são os modelos de investimento para aquisição de produtos ou contratação de serviços. Cada um deles tem características próprias, que determinam diferenças na governança corporativa da organização.

Tratando de ativos de tecnologia, a opção por um ou outro pode, ainda, significar diferenças na gestão da TI, desde os processos de monitoramento e suporte até o tamanho e especialização da equipe interna de TI.

CAPEX e OPEX em TI: Qual a melhor estratégia de investimentos em TI?

O que é CAPEX?

CAPEX é uma sigla para Capital Expenditure, que pode ser traduzido livremente como investimentos em bens de capital. Ou seja, são categorizados como CAPEX todos os investimentos relacionados à compra e aquisição de bens.

Devido à natureza desse tipo de investimento, ele normalmente prioriza a aquisição de ativos relacionados à atividade final da empresa. São investimentos destinados a bens que cumprem um papel direto na ampliação da capacidade da empresa de gerar lucro.

Seria o aumento da frota de caminhões de uma empresa de transportes, por exemplo, ou a aquisição de uma envasadora automatizada para uma cervejaria artesanal. No caso de ativos de TI, podemos relacionar como CAPEX a compra de equipamentos ou de licenças de softwares, por exemplo.

O que é capex?

Neste modelo de aquisição, a empresa precisa despender um investimento inicial para adquirir a solução desejada e deter a sua posse definitiva. A organização é, portanto, proprietária daquele ativo, sendo também responsável pela sua utilização, manutenção, proteção e monitoramento.

Ao final do seu ciclo de vida, quando ele está obsoleto, desatualizado ou não atende mais às necessidades atuais da empresa, cabe à própria organização também decidir o que será feito com esse bem.

O que é OPEX?

OPEX, do inglês Operational Expenditure, representa as despesas operacionais. Em outras palavras, enquanto CAPEX é a compra de um ativo, OPEX é a contratação desse ativo como um serviço.

Essa modalidade de investimento é, normalmente, destinada às atividades-meio da empresa, cujos ativos vão otimizar os processos, mas não necessariamente estão ligados de forma direta ao core business.

De forma geral, estão incluídos nas despesas OPEX a contratação de terceirizados para manutenção e logística, contas de água e energia elétrica, contratação de seguros, gastos com publicidade e marketing, entre outros.

O que é Opex?

Os investimentos em TI estão sendo cada vez mais alocados nessa categoria. Dentro do universo de ativos de TI via OPEX, existem basicamente três opções disponíveis no mercado:

  • Outsourcing de TI;
  • Locação sem serviço;
  • Leasing operacional.

Além disso, com algumas relevantes diferenças, outras soluções também são consideradas ativos como serviço, como é o caso de soluções de cloud.

Na locação sem serviço ou no leasing operacional, a empresa apenas aluga ou contrata os ativos de TI. A própria contratante se responsabiliza pela manutenção e gestão desses equipamentos ao longo do contrato, ou terceiriza essa função para outra empresa.

No caso do outsourcing de TI, a empresa contrata não apenas os ativos ‘as a service’, mas também uma camada de serviços para manutenção, gestão, logística, disponibilidade do parque, entre outros pontos.

Outsourcing de TI

Por que sair do CAPEX e ir para o OPEX?

Para responder a essa pergunta, é necessário avaliar alguns pontos importantes que podem variar de acordo com a estratégia da empresa. O objetivo da análise é otimizar os custos e proporcionar resultados mais interessantes para o investimento.

Analisando apenas pelo aspecto financeiro, a comparação fica principalmente entre contratação via CAPEX, Locação ou Leasing, que apresentam os custos usualmente mais baixos. Entre essas opções, a empresa sempre deve levar em consideração à parte os custos de manutenção e gestão.

A decisão, nesse caso, cabe muito à orientação financeira da empresa, que analisa o tipo de verba disponível para investimento, as taxas de aplicação, endividamento da empresa, fluxo de caixa, entre uma série de outras variáveis.

Por outro lado, quando comparamos de forma mais estratégica, incluindo uma diversidade maior de fatores, podemos considerar para a análise as opções de CAPEX e Outsourcing de TI. Nesse caso, é importante realizar um estudo de TCO (Total Cost of Ownership).

TCO (Total Cost of Ownership)

O Custo Total de Propriedade, como é conhecido o conceito em português, foi desenvolvido pelo Gartner na década de 80, e tem por objetivo calcular o custo de um ativo em todo o seu ciclo de vida.

O TCO leva em consideração não somente o custo do investimento inicial em um ativo, mas também seu uso, manutenção, depreciação, gerenciamento, até o seu descarte.

Percebe-se, então, que o custo de aquisição gira em torno de 25% do custo total que a empresa terá com aquele ativo durante toda a sua vida útil. Via de regra, o outsourcing de TI se mostra uma opção mais vantajosa do que a compra tradicional.

Para a infraestrutura tecnológica, a opção pelo OPEX com contratação do outsourcing de TI tem ainda outras vantagens, principalmente para a gestão da TI, que pode direcionar seus recursos em soluções para o core business.

Como calcular o TCO?

O TCO é calculado considerando todos os custos decorrentes da aquisição de um ativo, desde os óbvios como o valor de compra de um hardware, até os mais ocultos e indiretos, como custo de downtime e depreciação.

O TCO é estabelecido após a determinação de três fatores: o objetivo desse investimento, as variáveis relevantes para esse objetivo e o período de amostragem válido. Com essas três etapas concluídas, é possível analisar os dados do TCO e a viabilidade de um investimento por CAPEX ou OPEX.

 

Como a estratégia de aquisição de ativos de TI afeta a sua empresa?

A decisão do modelo de aquisição dos ativos da empresa pode ir muito além do TCO quando olhamos para o modelo de negócios e visão de futuro da empresa.

Sabemos que os recursos para investimento em CAPEX são limitados. Portanto, o ideal é priorizar ativos que proporcionarão retorno direto para o negócio. Esses ativos podem, inclusive, estar ligados à tecnologia e inovação, mas são específicos da sua área de atuação e geram valor para a empresa.

Estamos falando, por exemplo, de uma clínica de medicina diagnóstica que investe em um equipamento de ponta para a realização de exames de imagem, ou de uma empresa agrícola que investe em uma colheitadeira 100% automatizada.

Deixar de investir em itens como os citados acima para comprar computadores ou outros ativos de infraestrutura de TI seria retirar do negócio a flexibilidade de adaptação às diferentes necessidades e novas demandas do mercado.

Por que sair do CAPEX e ir para o OPEX?

Quem hoje, em sã consciência, ainda compra impressoras, por exemplo? Há algum tempo, o outsourcing de impressão tornou-se o novo ‘normal’, porque entende-se que fazer a gestão de hardware, insumos e calcular vida útil de cartuchos, retira energia e foco do time de TI.

O ideal é terceirizar esse tipo de serviço para uma empresa especializada, permitindo que seus recursos humanos tenham tempo e estejam disponíveis para pensar na inovação das atividades principais do seu negócio.

Assim, a adoção da modalidade de OPEX para a aquisição de ativos de TI da sua empresa pode trazer benefícios, como:

Evita a obsolescência e possibilita a inovação

Uma empresa que adquire ativos tecnológicos via CAPEX, normalmente, se torna dependente da utilização destes recursos até o seu limite, visando a fazer o melhor aproveitamento do seu investimento.

Esse modelo de investimento em equipamentos de TI é algo que vem sendo questionado por prejudicar o avanço da tecnologia. Afinal, a gestão não quer “perder” o dinheiro que já foi gasto, ainda que tenham surgido novas soluções que se adequam melhor às necessidades da empresa.

Por que sair do CAPEX e ir para o OPEX?

A obsolescência programada é um problema para empresas que atuam com o modelo de aquisição CAPEX. Ao final da sua vida útil, os equipamentos já estão defasados e desatualizados, e não atendem às necessidades da sua equipe, gerando problemas de produtividade e afetando a rentabilidade do negócio.

Ao mesmo tempo, é extremamente oneroso para a organização reinvestir em novos equipamentos após poucos anos de sua utilização. O negócio fica preso aos bens comprados no passado e dependente deles para exercer suas atividades.

Para negócios que buscam a inovação de seus mercados, buscando desenvolver novas soluções e criar um diferencial competitivo, isso é um problema. Por conta da defasagem tecnológica, uma empresa pode ficar limitada em suas soluções e mesmo na oferta de seu produto, por não ter à disposição as novas tecnologias usadas em sua área.

Estamos em tempos de transformação digital, principalmente após o salto exponencial catalisado pela necessidade de realizar os processos de forma remota causada pela pandemia de covid-19. Assim, a adoção facilitada de novas soluções de TI pode significar até mesmo a sobrevivência da empresa.

No modelo OPEX, a entrega de equipamentos garante que a empresa terá sempre as melhores soluções de TI à sua disposição, podendo realizar uma constante atualização tecnológica.

Um bom contrato de outsourcing de TI possibilita a troca de equipamentos com maior regularidade a um custo mais baixo. Apenas isso já amplia as oportunidades da sua empresa de acelerar o seu desenvolvimento com aplicações mais inovadoras e eficientes.

Possibilita o uso mais estratégico do orçamento

A migração da contratação e aquisição de ativos de TI do modelo CAPEX para o OPEX influencia diretamente na estratégia financeira da empresa. Ao mudar a forma como é realizado o investimento na infraestrutura de TI, a organização pode utilizar o orçamento com mais inteligência, otimizando os recursos de tecnologia.

A compra de novos computadores, servidores, entre outros ativos exige um grande investimento realizado de uma só vez. Com o investimento em OPEX a empresa dilui seus gastos com tecnologia ao longo do tempo.

Por que sair do CAPEX e ir para o OPEX?

Dessa forma, é possível investir a verba acumulada para outros objetivos dentro da empresa, sejam estes mais emergenciais ou estratégicos no momento.

Ao mesmo tempo, não é preciso abrir mão da inovação tecnológica e a empresa ainda pode contar com todos os equipamentos necessários para suas atividades, sem prejuízo para a sua operação. Pelo contrário, é possível planejar o crescimento e expansão com mais segurança e solidez.

A aquisição por CAPEX engessa a infraestrutura de TI de acordo com a verba disponível. Através da aquisição em OPEX, por outro lado, a empresa tem a possibilidade de contratar apenas o que for preciso naquele momento, com flexibilidade e escalabilidade.

No caso de uma eventual necessidade de mais equipamentos, a empresa tem a flexibilidade de controlar a gestão dos ativos para o que for mais adequado. Da mesma forma, é possível planejar um aumento temporário da infraestrutura disponível para um projeto específico, por exemplo.

Se a gestão do negócio prioriza a aquisição por CAPEX, uma expansão desse tipo é dificultada, restringindo e até impossibilitando a aquisição de mais ativos quando necessário, mesmo para uma demanda sazonal da organização.

Libera os profissionais para atividades do core business

As grandes transformações são idealizadas, fundamentadas e executadas por pessoas. Elas são a base do resultado de todas as empresas. Não se pode desperdiçar esse tipo de recurso humano com atividades que não trazem resultado direto para o negócio.

Quem fará a transformação digital de todas as empresas serão as pessoas. Mas isso não acontecerá se seus profissionais altamente capacitados estiverem ocupando o seu tempo com atividades operacionais rotineiras e pouco estratégicas.

Os recursos humanos de TI são, cada vez mais, indispensáveis para o desenvolvimento do negócio. Sua equipe de TI deve estar sempre atenta às inovações relacionadas às atividades principais da empresa.

Por isso, é fundamental que essas pessoas tenham seu tempo de trabalho dedicado às atividades ligadas ao desenvolvimento de novas soluções tecnológicas para o core business.

Quando você tem um profissional de tecnologia altamente capacitado desempenhando uma função operacional, seu negócio está limitando todo o potencial que ele pode fornecer à sua organização.

De forma prática, ao optar pelo modelo de aquisição CAPEX, a rotina desses profissionais acaba tomada por atividades de conservação e manutenção da TI para garantir que eles tenham a maior vida útil possível.

Por que sair do CAPEX e ir para o OPEX?

Com um modelo de aquisição OPEX, as demandas operacionais, de manutenção e suporte, podem ser terceirizadas para uma equipe especializada, cuja atividade principal é, exatamente, fornecer, manter e gerir a infraestrutura de TI da sua empresa.

A contratação de infraestrutura em OPEX permite que a sua equipe atue de forma mais estratégica para o negócio, podendo usar suas capacidades em atividades fundamentais para o crescimento da sua operação.

Acelera o processo de transformação digital

A transformação digital já está acontecendo em todas as áreas da economia e já não é uma questão de se um negócio vai se digitalizar, mas quando. Os negócios digitais saem na frente em competitividade, experiência do cliente e autoridade no mercado.

São as inovações tecnológicas que possibilitam que uma empresa possa se adequar às necessidades de seu cliente e oferecer o melhor produto ou serviço.

Como falamos, o modelo de aquisição CAPEX engessa a infraestrutura de TI e dificulta o investimento em inovações, por depender de gastos elevados de uma só vez. Para um setor que avança aceleradamente como a TI, esse engessamento é limitante e favorece o atraso tecnológico.

Por que sair do CAPEX e ir para o OPEX?

A contratação da TI por OPEX possibilita que as soluções adotadas pela empresa avancem à medida que novas tecnologias lançadas sejam consideradas mais adequadas para a necessidade do negócio. Assim, é possível manter um movimento de melhoria contínua e de amadurecimento da TI da empresa.

Como escolher o melhor fornecedor de TI para sua empresa?

Para tomar a decisão sobre um novo investimento em TI pelo modelo CAPEX ou OPEX, é preciso considerar o uso mais inteligente dos recursos da empresa ao longo do tempo e seu impacto no futuro da empresa.

A melhor opção será aquela que permite direcionar os investimentos de forma estratégica para o desenvolvimento da atividade-fim do negócio. Por isso, ao falarmos de ativos de infraestrutura de TI em tempos de transformação digital, a discussão principal já não está na escolha entre CAPEX e OPEX, mas sim sobre com qual parceiro se fará OPEX para terceirizar a TI.

Se a sua empresa se encontra neste momento, seguem algumas dicas para encontrar a melhor parceira de TI para o seu negócio:

  • Contrate uma empresa que cuide muito bem daquilo que você está transferindo para ela. Seja um computador ou toda a infraestrutura de TI da sua empresa, que o fornecedor compre, prepare, entregue, ative para o usuário, confira se está tudo de acordo com o ambiente, preste suporte com agilidade e assegure a disponibilidade.
  • Procure acompanhar se a performance do equipamento atende às expectativas ao longo de 3 ou 4 anos. Ao final do seu ciclo, garanta uma substituição por outro mais novo e de desempenho igual ou superior.
  • Garanta também que os dados que estavam no equipamento não serão usados por ninguém. A proteção de dados é hoje uma grande preocupação das empresas e, ao contratar um parceiro de TI, tenha a certeza de que a fornecedora também se preocupa com a segurança da informação.
  • Escolha um fornecedor que acompanhe a evolução das soluções de TI e seja capaz de oferecer uma infraestrutura inovadora e atualizada. Uma empresa que está por dentro das últimas novidades tecnológicas vai além do papel de fornecedor e se torna um parceiro de negócios, atuando em prol do seu desenvolvimento.
  • Contrate alguém com experiência e credibilidade, que seja capaz de ensinar as melhores práticas para seus profissionais, e não o contrário. Ou seja, preocupe-se em contratar alguém para quem você possa transferir a dor de cabeça operacional, e não que lhe crie outras.

A Microcity é pioneira e líder nacional em PCaaS (PC as a Service), solução no modelo OPEX que entrega desktops, notebooks e todos os equipamentos necessários para a infraestrutura de TI da sua empresa.

Oferecemos a cobertura dos serviços de instalação e suporte por todo o território nacional, favorecendo a mobilidade da sua empresa. Disponibilizamos ainda uma diversidade de soluções em suporte e gerenciamento para que o seu negócio possa ter inteligência em relação aos seus dispositivos.

Quer conhecer melhor a solução de outsourcing de TI da Microcity para a sua empresa? Conheça mais sobre o PCaaS e tudo o que ele pode oferecer.

Qual a melhor solução de PC as a Service para sua empresa?

Assine nossa
newsletter

    Eu aceito receber mensagens e comunicações desta empresa
    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade

    Ebook
    do mês

    Por:

    Tiago Miranda Moreira

    Diretor Comercial e Marketing da Microcity

    Soma mais de 16 anos na empresa Microcity, tendo ocupado cargos de gerência na área comercial. Atualmente, Tiago é Diretor Comercial, sendo responsável pela gestão das vendas e parcerias, e de Marketing da empresa Microcity. Ele é formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com especialização em desenvolvimento de dirigentes e Marketing pela Fundação Dom Cabral (FDC).

    Blog

    Acessar
    10 motivos pelos quais sua empresa deve contratar a Microcity
    Saiba mais
    4 indícios de que está na hora de adotar o outsourcing de TI
    Saiba mais
    Conheça 9 vantagens de adotar outsourcing de TI
    Saiba mais

      Eu aceito receber mensagens e comunicações desta empresa
      Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade